Seguidores

domingo, 17 de maio de 2009

ABANDONO...









ABANDONO...

Quando bate a tristeza
Sem nenhuma sutileza
Seja à luz plena do dia
Ou na calada da noite

Vem como um duro açoite
E deixa a alma no abandono
A alegria fica sem dono
Nada mais o consola

O sopro do vento... A viola
Tudo agoniza e chora
Saudade doída o devora
Como preencher esse vazio?

A vida parece estar por um fio
Tudo isso depois que você partiu
Deixando o rastro do silêncio
A solidão de conluio e mãos dadas

Só ouço o grito... O gemido... O sussurro
Da dor sofrida da tua sentida ausência
Volta logo! Ocupa o espaço que é teu
Alivia com teu riso o meu cansaço

Que te espero aqui de braços abertos
Com beijos prolongados e demorados
Para voltar a ser feliz do teu lado
Foi o que me mandou te dizer calado

O pobre coração de um homem apaixonado

Hildebrando Menezes
Veja o poema em vídeo
Abandono
http://www.youtube.com/watch?v=1YtKeg0xL7s

Navegando Amor
Publicado no Recanto das Letras em 01/12/2008
Código do texto: T1312477
http://recantodasletras.uol.com.br/poesiasdeamor/1312477

Um comentário:

Cecilia disse...

Querido Hilde!

Esse poema também me emocionou muito e confesso que também chorei!
Aqui uma realidade incontestavel...vc é um romântico querido amigo, e em vídeo foi o que quis passar nesse poema em que teu coração e alma transbordam amor

Beijos comovidos

Carmen Cecilia