Seguidores

domingo, 13 de dezembro de 2009

GABRIELA... FILHA AMADA!


Como sabes, sou um eterno aprendiz
Que vive agora a sua hora mais feliz
Vendo a minha querida filha Gabriela
Digna, estudiosa, honrada e tão bela
Vencer árdua etapa da caminhada...

Nessa espera do dia da sua formatura

Sei que não perderás a tua ternura
Teu esforço e grande habilidade
Após tantos anos de estudo e luta
Alegras o coração do teu velho pai
Pelo jeito, pela forma, que te recai...

Nessa plena e profunda sensibilidade

Ao exercer essa maravilhosa profissão
A tratar a todos com os olhos do coração
Medicina é a tua mais completa vocação
É ato cotidiano do teu ser, sutil e generoso
Na defesa intransigente da ética, da pesquisa...

Usando da inteligência, meiguice e emoção

Consciência firme e pura dignidade social
Olhar para cada ser, sentindo que é teu igual
Darás atenção redobrada aos mais pobres
Sem a visão tacanha e mesquinha do lucro fácil
Mas com um amor integral aos teus pacientes

Atenta às causas e efeitos das variadas doenças

Enfim querida filha... É só dar continuidade
E nunca esquecer teu jeitinho doce de criança
A cotidiana coragem e a essa tua personalidade
Que sempre me encheu de desmedido orgulho
Esse teu árduo, vibrante e sacerdotal mergulho

À práxis médica e ao saber para melhorar o mundo

E que Deus te cubra de amor, alegria e de felicidade
Pois Ele conhece os teus sentimentos mais profundos
De aliviar dores, dificuldades e cruéis sofrimentos...
Eleva a Deus nosso Pai e criador a todo o momento
Quando a dúvida e o cansaço assolar teus pensamentos

Busca Nele as forças para encontrar o conhecimento

É o que te desejo na labuta que tens aí pela frente
Ao te dedicares a esta gente necessitada e carente
Gabriela Matos Menezes... Você foi e sempre há de ser
O meu mais belo sonho inspirador que virou poesia
E nestes versos eu confesso para ti os meus desejos

Com todo o melhor dos carinhos abraços e beijos

Sei que tudo de melhor poderá te acontecer
E estarei presente... Mesmo que aqui distante
Numa torcida fervorosa, na dor e na alegria
Agora e para sempre! Felicidade à minha cria!

Do teu pai que muito te ama...

Hildebrando Menezes
http://muraldosescritores.ning.com/profiles/blogs/filha-amada
http://recantodasletras.uol.com.br/poesiasdeamor/1914274

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Deixa-me sonhar... Contigo!




Deixa-me sonhar... Contigo!

Este sentimento que me queima a alma
Atravessa os ares, rompe barreiras e voa enfim
Que transpõe tudo o que existe em mim
É corajoso, valente, ama do nascer ao poente

Este estado de espírito que me torna leve
Sacode todo meu corpo e ao amor comove
Que arrebata toda a dor que me queima o peito
É tão bonito que as vezes não agüento e grito

Esta doce ternura que sinto crescer...
Que vem de você a todo o momento enternecer
Esta força que quase me mata de emoção,
Fica bulindo com tudo, tirando até a razão

Torna todos os meus sonhos realidade
Só o que dói é a falta de ti... A saudade!
Torna minhas fantasias tangíveis
Tudo que lembra você me deixa sensível

E meus medos, fracassados.
São logo deixados de lado... Esquecidos!
Por isso, amor...
Não me abandone, por favor!

Deixa-me sonhar, transpor as portas da ilusão
Viva comigo esta necessária comunhão
A recriar sentimentos novos,
Dando melhor colorido e sendo exclusivo

E senti-los dentro de mim.
Aconchegados bem assim
Deixa-me acreditar nesta magia,
Que nos une pela poesia

Nesta alegria, que me torna quase tua
Que me leva a gritar teu nome na rua
Deixa-me alimentar dos teus sentidos
Na pureza e na beleza tão benditas

Desta tua energia que me torna mais forte
Ao teu lado sou melhor e conto com a sorte
Deixa-me sonhar, amor
Não quero perder esse calor

Que a realidade é fantasia
A alimentar os meus dias
Que os sonhos nasceram dos sonhos...
A deixar minha vida risonha

E aos poucos...
Sem atropelos e sufocos
Eu vou-te amando... Por que
Só você me faz viver e crescer

A minha felicidade é tua,
Contigo vou além das estrelas e da lua
Minha vida é tua... Meus sentimentos são teus...
Você é tudo que Deus me prometeu

E eu, já me rendi... A esta embriagues....
Mesmo que digam ser insensatez
Deixa-me sonhar...
Para sempre vou te amar

Assim como, tu sonhas... Comigo.
Só posso ser feliz... Contigo!

Dueto: Catarina Camacho e Hildebrando Menezes
Assista ao poema em vídeo
http://www.youtube.com/watch?v=iiYsP52I5t4&feature=player_embedded
http://recantodasletras.uol.com.br/poesiasdeamor/1684779

sábado, 7 de novembro de 2009

O AMOR E O TEMPO



O AMOR E O TEMPO

E o tempo escorre em horas infindas...
Trazendo e levando reminiscências
Tomo consciência dos atos
Dos maus e dos bons tratos

E a cada minuto que se passa
A nós retorna no minuto seguinte
A lucidez chama-me com firmeza
Com toda a sua sutil fortaleza

Não somente pelas entranhas nasce o homem
É também produto de um processo de aprendizagem
Nasce também pelo amor vivido
Gestado de experiências sucedidas

Pelo amor em chamas
Vivendo e superando dramas
Pelo amor em clamas
Em labaredas e paixões que inflamam

Da mesma forma,
não só pela morte se esvai...
Nem pelas âncoras levantadas
Ao navegar dos seus ais

Todavia, existe o reviver!
O renascer e recomeçar
Agarremo-nos nesta certeza
De que é possível ser feliz

Continuemos o caminhar
Conjugando sempre o verbo amar...
O amor, esse grande "essencial"
É a força motriz do nosso ideal

A cada pertence, unicamente
Realizar o melhor potencial
O mérito e o fardo é só seu
Não cabe ao outro levar...

Dueto: Luciana Campos e Hildebrando Menezes
Veja o poema em vídeo
O Amor e o tempo
http://www.youtube.com/watch?v=tqs-9qMzY1A
Inspirado no original CAMPOS, Luciana. Poema. O Amor e o Tempo. Publicado em:
http://muraldosescritores.ning.com/profiles/blogs/o-amor-e-o-tempo
http://muraldosescritores.ning.com/group/duetos
http://images.orkut.com/orkut/photos/OgAAAFf8ah_RrkbYN9bWeGJv8B8mg1cwhWZiwxdiQC0vF1NSM5pvzUuwvkdTCjjEu3D6z_Vrl5sK7GipQEXx64PGJEgAm1T1UKkqS3Faf7OvNY85_pNEbo43Goy0.jpg
http://www.orkut.com/Main#FullProfile?pcy=0&t=0
http://www.orkut.com/Main#CommMsgs?cmm=29029837&tid=5317791191844389265&na=2&nst=509

http://recantodasletras.uol.com.br/poesiastranscendentais/1904556

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

POR TEU AMOR...


POR TEU AMOR...

Por teu amor é que eu vivo
Durmo e acordo... E só palpito
E tudo contigo fica mais bonito
Até quando me espreguiço...

Sinto o teu agradável feitiço
Meu pensamento a teu serviço
E você sabe que é o meu vício
E se não for assim... Eu viro lixo

Não escondo para baixo do tapete
O que ocorre e vai aqui nesta mente
Ponho pra fora o que de ti mais aflora
E quando você falta... Ou vai embora

Todo o meu ser parece que inflama
Meu peito insatisfeito vira um drama
Sinto lágrimas demoradas e represadas
Nem sei mais mensurar o quanto...

Este tanto, mas tanto, que te quero
Tudo isso e apesar disso eu te imploro
Não me abandone como cão sem dono
Venha cá... Beije-me... Abrace-me!

E viva comigo tuas carícias profundas
Cultive os teus sonhos mais lindos
Perceba o nosso paraíso se abrindo
São as boas vindas do Éden... Surgindo

Ao meu... Ao teu... Ao nosso AMOR!

Hildebrando Menezes
Veja o poema em vídeo
Por teu amor
http://www.youtube.com/watch?v=UeZhY8TzcQg

http://images.orkut.com/orkut/photos/OgAAAFs8BbZpDtSePj1Kn6i7HicMwq93p_w2lBE3QYD1pBjyXEmyZ43eJlunrGGr3Ep3ZlJG8AoZuGHEhfSQrDTIV6oAm1T1UEUHI-9pUypMww3X2PfrWtFxeOZa.jpg
http://recantodasletras.uol.com.br/poesiasdeamor/1902116

terça-feira, 3 de novembro de 2009

MENINO MORENO JAMBO




MENINO MORENO JAMBO

Menino num rosto de homem
Lobo selvagem e sensual
Que tem uma alma genial
À caça do amor puro e roxo

Ele vê além dos acasos e arrochos
Não tem maldade e é caprichoso
Com sua sensibilidade sem igual
Distraído, atrevido, endiabrado

Duela seus versos loucos e ousados
Na sutil, fina e saudável sabedoria
Produz ternura da melhor autoria
Edita uns vídeos de tirar o fôlego

Aproxima... Olha... Avalia... Namora
E explode com sua arte que enamora
Com jeito moleque que enlouquece
Aquece, enfurece, enternece

Está como a caça e o caçador
Presa e zeloso guarda de prisão
Moleque cheio de charme e tesão
Suas palavras saem como iscas

De quem sabe o que arrisca
Porque petisca amizade no que quer...
Sentir o amor mais que perfeito
Da garota, da mulher, do sujeito

Do roçar das peles e dos peitos
Desnudar-se dos trajes e ultrajes
Vencendo os mais cruéis preconceitos...
Moralistas e preceitos... Invejas e despeitos

Menino levado da breca
Atrevido pra lá de sapeca
Rubro negro soberbo e honrado
Defende nosso Mengo nos estádios

O Flamengo é sua identidade de raça
Atiça e pisca e se preciso for reboliça
Nas delícias das malícias e carícias
Assim é o menino Moreno Jambo

Amigo, irmão e companheiro
Agradeço a Deus todos os dias
Por existir este flamenguista
Mais que perfeito artista

Cheio de artimanhas, magia e alegria...

A trazer poesia aos nossos dias!

Hildebrando Menezes
Veja o poema em vídeo
http://www.youtube.com/watch?v=fn_0YpPuwxA

http://images.orkut.com/orkut/photos/OgAAACXYeexuzlutsF6WFdFQHP3kE_iRPmvYvnhH97yNjKoW1G3fY5hAhx94Gkfa9THbJz9tBeHid3jCEzNohJInE3UAm1T1UGydN7bAtQYB2Q_qU-p6SGWTJB3v.jpg
http://recantodasletras.uol.com.br/homenagens/1868587

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

BOTÃO EM FLOR



BOTÃO EM FLOR

Não sei se foi o toque da pele...
Aquela química que nos impele
Talvez a magia do momento...
Que aflora belos sentimentos

Quem sabe aquele olhar magnético?...
Que despertou uma energia elétrica
Terá sido o sorriso largo, sincero?...
Seu jeito meio simples e complexo!

Ou o gosto do beijo?
Ébrio do melhor desejo
Será o jeito da pegada?
Sua alma em disparada

O modo atrapalhado de dizer "Eu Te Amo"?...
Com uma timidez pura de quem mesmo ama
É fato que fico mexida com tudo isso!
O que se dá é um verdadeiro reboliço

E, numa fração de segundos...
Tudo parece vir ao meu mundo
Coração bate forte e descompassado,
Respiração vem apressada

O pulso pulsa acelerado,
Sinto o sangue jorrar nas veias
Pernas bambas,
Os seios inflamam

Boca trêmula,
Brilho no olhar estimula
E em meio a uma sensação de calor total
Afinado o sensual com o sexual

Vem uma atração animal
Ânsia incontrolável
Coisa de bicho sim!...
Numa excitação sem fim

Bicho manso, dengoso...
De toque selvagem e ardiloso
Mas que fique claro que não é algo morno, insosso...
É pra lá de delicioso e gostoso

É sentimento que faz a emoção aflorar
Porque flui com ternura em todo lugar
Uma espécie de botão em flor pronto pra desabrochar.
Que não consegui esconder e vim aqui declamar!

Será que é amor?

Dueto: Malu Monte e Hildebrando Menezes
Nota: Inspirado no poema original de Malu Monte ‘EM FLOR’
Publicado no Mural dos Escritores.

Assista ao poema em vídeo
Botão em Flor (Dueto: Malu Monte e Hildebrando Menezes)
http://www.youtube.com/watch?v=urBTXwSpEu8
http://recantodasletras.uol.com.br/poesiasdeamor/1873838

sábado, 17 de outubro de 2009

Abraço Sensual



Abraço Sensual

Ah, minha querida, estou te esperando,
Quero ver se um dia vais me apresentar...
Por que foges? Pergunto-me, desesperado,
Por que me deixas sempre na mão?

Ah, meu amado estou te explicando,
A distância que fere e insiste em apertar...
Não fujo é o meu coração descompassado,
Desassossegado tão cheio de emoção!

Ah, minha Afrodite, tu passas o batom,
E me deixas sem teus beijos,
Sonho então, com teu corpo quente,
A estremecer entre os meus braços...

Ah, se todas as declarações de amor fossem verdade,
Se as nossas bocas se perdessem em desejos,
Se não fossem sonhos, somente a gente,
Nos lençóis entregues em doces amassos...

Adorada, minhas palavras a ti eu juro,
Podes cobrar, ontem, hoje, na eternidade.
Perdido ficarei por entre teus seios,
Entregue em tua gruta, armado, amando.

Falas em minúcias, em tempos dispersos,
Enquanto espero por longos momentos...
Diz-me que não há desembaraço, que faço,
Vens à mim, com teu membro forte, viril, ereto.

E aceso pelo contato, conforto do ato,
Certo, perfeito, concreto, te quero amada.
Entregue e perdido entre teus gestos,
De pernas entreabertas a espera...

Sedenta e ansiosa de tudo, nada menos, fato,
Sigo no ritmo ardente, febril, toda molhada,
Se te atiço, agora te peço, venha logo,
É fogo, é lenha, é brasa, me ganha, me abraça.

Dueto: Nice Aranha & Hildebrando Menezes
Assista ao poema em vídeo
http://www.youtube.com/watch?v=Rt3wmzHY6JA

http://recantodasletras.uol.com.br/duetoseroticos/1868665

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

LÉSBIA INFLAMA...



LÉSBIA INFLAMA...

‘Cróton selvagem, tinhorão lascivo, ‘
Doce e nativo ponto delicioso de delírios
‘Planta mortal, carnívora, sangrenta, ‘
Desponta qual flor aos amantes

‘Da tua carne báquica rebenta’
Tantas são as paixões que sustenta
‘A vermelha explosão de um sangue vivo...’
Orienta e explode desejos irrequietos

‘Nesse lábio mordente e convulsivo,’
Que suspira no membro impulsivo
‘Ri, ri risadas de expressão violenta’
Apropriada na pureza da alegria leve e solta

‘O Amor, trágico e triste, e passe, lenta, ‘
Quer a força da bravura delicada e intuitiva
‘A morte, o espasmo gélido, aflitivo...’
Corrói e consome espíritos incrédulos

‘Lésbia nervosa, fascinante e doente, ‘
Suga o sol e as estrelas no horizonte
‘Cruel e demoníaca serpente’
Haverá de deixar escorrer o teu veneno

‘Das flamejantes atrações do gozo.’
Flor de purpurina solta a arrepiar intensa
‘Dos teus seios acídulos, amargos,’
Pulula o mel e o fel nos favos

‘Fluem capros aromas e os letargos,’
Que se dilaceram em fragmentos ávidos
‘Os ópios de um luar tuberculoso...’
Inebriam e embriagam os poetas loucos.

Dueto: João da Cruz e Sousa, Poesia Completa & Hildebrando Menezes
Adaptado do poema original ‘Lésbia’ de João da Cruz e Sousa com os versos de Cruz e Sousa em aspas.

Assista o poema em vídeo
Lésbia inflama
http://www.youtube.com/watch?v=pbI8P5TGekA

sábado, 3 de outubro de 2009

Aprendizagem...



Aprendizagem...

Que o nosso amor
Venha com brandura
Repleto de doçuras
Envolvido na ternura

E seja perspicaz viril criador
Tão belo quanto o amanhecer
Que a chama nunca se apague
E que em nosso colo propague

E navegue em todas as águas
Com gestos de sutil elegância
E a atenção na sua essência
Dengos e carinhos na balança

Com o valioso suporte da sorte
Na solidez de um lastro forte
Nosso castelo não seja de areia
E agüente as duras tempestades

Que a nossa companhia íntima
Seja confiante, livre e soberana
E verdadeira siga pela vida afora
E o nosso ‘segredo’ vença os temores

Seja revelado apenas para os anjos
Que o passar dos anos não nos envelheça
Porque faremos que o espírito prevaleça
N’alma e na alegria do riso de uma criança

E essa beleza seja permanente de esperança
Que nosso sangue circule sereno pelas veias
E um dia compartilhe em solidária transfusão
Que os nossos sonhos sejam tão felizes

Como foi a dedicação dos nossos pais
Ao nos conceberem guerreiros da paz
E as grandes lições que apreendemos hoje
Possamos socializá-las a toda hora como agora

E onde estejamos não nos esqueçamos mais
De que somos eternos aprendizes
E se formos dignos de tudo isso...
Teremos realmente sabido viver!

Dueto: Edma Jucá e Hildebrando Menezes
Nota: Inspirado em “Lições da Vida” de Edma Jucá
Veja o poema em vídeo no You Tube:
Adaptado do poema de Edma Jucá – ‘Lições da Vida’ publicado no Mural dos Escritores
APRENDIZAGEM
http://www.youtube.com/watch?v=VCTdAgl2Fn8

Mural dos Escritores – Lições da Vida
http://muraldosescritores.ning.com/profiles/blogs/licoes-da-vida

http://images.orkut.com/orkut/photos/OgAAAHICOc-_x_Jy3rrasDeBNBKYa5ECHgXqMh4utpLMUq50g61e7qFGM95kNMHRWqbDjs0G3oqe60Bw7gt7P-i3qKYAm1T1UL59dDQ70Rt9dJCu3UskOkgjuMoo.jpg

http://recantodasletras.uol.com.br/poesiasdeamor/1841349

sábado, 26 de setembro de 2009

O beijo de nós dois

Entardecer em Setembro

Dedos em ação

Quem Ama não Mata!

Nação Rubro Negra

Alegria no Adeus

Processo de Amor

Enigma Desvendado

Remorsos...

Olhar Misterioso

A Delícia do Beijo

Busca Erótica - Sensual

Amor ou Amizade?

MOMENTOS D'ALMA

Amando Acordado

DANÇA DAS UTOPIAS

Sintonia Virtual

Oração de amor ao mar

Sussurros de amor

Você é assim....

Oferenda das Rosas

O tempo é agora

Passeio Clitoriano

Encontrarei você

LuLinda

Escrevo ao amor

Canto das Ondas

Canto das Ondas

Canto das Ondas

Amor Proibido

GOTAS DE CARICIA VIDEO POEMA DE AMOR PAIXÃO SEDUÇÃO

Não vás mais embora

CONTIGO EU DANÇO VIDEO POEMA

Dentro de nós...

Meu anjo protetor

Vamos dançar?

LINDA DEMAIS VIDEO POEMA DE AMOR CARINHO E ADMIRAÇÃO

Como te amo

Canto de amor

O VALOR DA LIBERDADE

Amor envolvente

VIDEO POEMA EM NARRATIVA PALAVRAS

FRAGMENTOS CENTENARIOS

Olhos ao céu

NOSSO OLHAR VIDEO POEMA DE AMOR E SEDUÇÃO EM NARRATIVA

SAUDADES DE VOCÊ VIDEO POEMA EM NARRATIVA

QUANDO O AMOR BATER... VIDEO POEMA DE AMOR E CARINHO EM NARRATIVA

MÁGOA VIDEO POEMA EM NARRATIVA

Duelo de amor

ABANDONO

A Tua Poesia

Sedução

NAVEGANDO AMOR

Rock das Metáforas - Poesia

MESTRE DA EMOÇÃO POEMA E MENSAGEM

Surpresa!

Cartas de Sade - Lettres de Sade - "Le Marquis"

Nosso eterno canto POEMA

JARDIM DO ÉDEN POEMA DE AMOR E PAIXÃO

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

RECEITA DE AMOR POEMA

Coincidências?

No embalo dos Poemas - Duo Salomé & Hilde

Quando se ama...

PERFUME DE MULHER POEMA

MÃE ....DOAÇÃO DE VIDA POEMA

Andarilho -

Regua e Regras - Poesia de Enise e Hilde

AMAR É PRESERVAR E FONTE DE VIDA POEMAS

Quero Você! - Poesia de Hildebrando Menezes

A LEVEZA DOS SONHOS POEMA

Poesia - Ponto e Virgula - (Enise/Hilde)

VIDEO POEMA NUM SOPRO DOS CÉUS

Álibis - Poesia em duo - Enise/Hilde

Poesia - O jardim da poetisa - Hildebrando Menezes

Poesia - O poder da ternura - (Enise/Hilde)

Carinho do Colo - Poesia de Hildebrando Menezes

Sementes - Poesia em duo - Enise/Hilde

In...pulsos - poema de Hildebrando Menezes

POESIA LANGUIDEZ

Lábios que quero - Poema de Enise- Hilde

Sentimentos - Poesia - Hilde

Encantos - Poesia (Enise-Hilde)

Poema - Delícias de um sorriso (Enise- Hilde)

Poema - Delicadezas - Hilde

Esperas... - Poesia - (Enise/Hilde)

Poesia - Devaneios Enise e Hildebrando

Possibilidades...

PLENO DE VOCÊ

Quando o amor chega...

Intimidades - Poesia

Poesia - Que venham as flores...

Carimbos...Poesia

Poeminha Safado

Contemplações - Poesia

Vôo ao universo - Poesia

Poesia - Revelação

Entre os vazios - Poesia

Poesia - Vivo Você...

UMA PRECE - POESIA

NUA E CRUA

sábado, 19 de setembro de 2009

ENTARDECER EM SETEMBRO













ENTARDECER EM SETEMBRO

Em um calmo por do sol te vi aparecer
Leve e suave névoa soprada pela brisa
Luz difusa que confundiu meu coração
Fez em meu corpo e pele só excitação

Em um beijo de amor vieste me seduzir
Senti as pernas tremerem sem te resistir
Tomaste-me de surpresa ao entardecer...
Foi tamanho o fascínio ao te ver acender

Com tua voz inebriante a me envolver
Pelo pescoço até o osso incendiou-me
Levaste-me ao céu em um só instante
E eu refletindo o teu sol virei diamante

Para vivermos este amor eternamente
Doçura e beleza passam em minha mente
Tocando em meus lábios e no meu ventre
Sentindo tudo neste momento envolvente

Adentraste suavemente as juntas e medulas
Passeando pelas células delícias e ternuras
E em calmo entardecer em pleno setembro
Curta paz e alegria recostada em teu ombro

Derreti-me de paixão de amor e de prazer
Tendo você aqui a acariciar-me sem temer
Encontrei aquele alguém que é pura sedução
Que sabe aproveitar o encanto do bem querer

Maravilhada ao sentir este amor a me inebriar
Em sonhos, caminho abraçado ao meu belo par
Estou passeando de mãos dadas enquanto viver
Certo de que o céu começa aqui nesta emoção

E nada mais a dizer... O amor não tem explicação

Dueto: Lourdes Ramos e Hildebrando Menezes
Veja o poema em vídeo
ENTARDECER EM SETEMBRO
http://www.youtube.com/watch?v=TT_Qc6EDaqA

http://images.orkut.com/orkut/photos/OgAAAGhbQ1dgbsOfy-hb5gTtyLChhkP-inNi2pFZZjPLKYecX224PWkb8q0o9FoSJhGwJhBz7kh0tAzI_nbN3nv6FE8Am1T1UHLWlYdvtxXFZXyglSxGHuI65_nH.jpg

http://recantodasletras.uol.com.br/poesiasdeamor/1805498

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

DEDOS EM AÇÃO















DEDOS EM AÇÃO

Meus dedos que dedos
Percorrem sem medo
Escondem segredos
Tocam-me, me sentem

Salientes invadem
Insaciáveis percorrem
Numa viagem lúdica
Insanos e impudicos

Leves toques dos meus dedos
Gulosos e incontidos
Vejo uma aquarela e ouço sinos
Numa sinfonia melódica

É silêncio só por fora
Mas, por dentro em desatino
Vadios e intrépidos
Rápidos... Vagarosos... Lépidos

Teus dedos que dedos
Te tocam e sentem
Irrequietos medem
Escorregam na umidade da gruta

Sensual e astuta
Áspero toque dos teus dedos
Mergulham em labaredas
Em movimentos de arrebentar

Pelas células... Pele em seda
Na altiva maciês
Do frenesi e da embriaguês
Sobressaltado, parado

Já voastes prá extasiar
Pelas volúpias de amar
Nossos dedos, que dedos
Nos tocam, nos sentem

Muitos toques, tantos dedos
Sutis... Suaves... Lânguidos
Livres de degredos
Que delicia arrepiante

Pelo sexo penetrante
Pelo benefício do teu vício
Eu por ti e tu por mim
Só suspiros ofegantes

Pra delírio dos amantes.

Dueto: Maria das Graças Novais e Hildebrando Menezes
http://images.orkut.com/orkut/photos/OgAAAI8LVfI1QCjAvEjHNf1MQWvK2f8Y30kqwMV_9PXWW0nyt3tFi33oqZVCOAsP4WAB2H9iraUtMIPaDlP1udFewKUAm1T1UHmdJlUZTUySXFpv-Rg7HRmTpJxn.jpg

http://recantodasletras.uol.com.br/poesiasdeamor/1807508
Veja o poema em vídeo:
DEDOS EM AÇÃO
http://www.youtube.com/watch?v=aYVpeEupynU

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

NAÇÃO RUBRO NEGRA...QUEM AMA NÃO MATA!










NAÇÃO RUBRO NEGRA

Sou sim! Preto e vermelho
Sinto Honra ao me ver no espelho
Por dentro e por fora sou rubro negro.

E meu coração sacode e explode
Cada vez que vejo meu Mengão
Que para mim é mais que religião

É uma legião de anjos e santos em comunhão
No desfilar em campo da minha maior paixão
Devoção de minha alma em total excitação

Perpassa minhas veias no maior tesão
E na hora do grito de gol a pele incendeia
Mais até que o saboroso e belo orgasmo

Tudo vira fantasia na maior alegria
Sem ti Mengão a vida seria vazia
Escrevo estes versos em oração

Para unir nossos irmãos desta nação
Do meu Glorioso Mengão Campeão
Eu sempre te amarei, onde estiver estarei

Oh meu Mengo, tu és time de tradição,
Raça, amor e paixão,
Oh meu Mengo

Porque uma vez Flamengo...
Flamengo até morrer!
MENGOOOOOOOOOO!

Dueto: Moreno Jambo e Hildebrando Menezes
Assista ao poema em vídeo
NAÇÃO RUBRO NEGRA
http://www.youtube.com/watch?v=0qYcYGC04eo&feature=player_embedded
http://recantodasletras.uol.com.br/poesiasdealegria/1689389

QUEM AMA NÃO MATA!

O mundo não perdoa a quem amar demais
Nem quando ultrapassa os limites da razão
É misterioso o odioso descontrole passional
É algo além de um fenômeno dito normal

E em cada oscilação há episódios tão letais
Ao deixar-se conduzir apenas pela emoção
A pessoa fica como que toda impregnada
Possuída pelas irracionais intempéries da vida

Dizem incoerências bizarras contra o amor
Taxando de cego, surdo, louco desatinado
Sem entender seus verdadeiros desígnios
Perdem o poder de captar os bons fascínios

O que seria da vida sem uma grande paixão?
É como saber apreciar o vinho da melhor safra
Mas condenam o sedutor se for apaixonado
Esquecendo a delícia da ternura dessa hora

Ao sentir-se incendiar por dentro o coração
Vive-se o frenesi inebriante do esplendor
Encantado por um magnífico bosque em flor
Por onde o perfume flui com todo o seu ardor

Quem ama vai escutar uma canção de amor
Vê imagens belas postadas de mãos dadas
Vivendo sempre ao lado da pessoa amada
Tendo um céu de estrelas ao alcance da mão

Ninguém quer perder esse calor arrepiante
Aproveite-o bem e segure cada instante
Pois vai iluminar o seu olhar e o seu sorriso
E nesse momento surge sempre como aviso

Nada pode ser preparado é meio improviso
Ter-se a sensação de ser desejado, é o paraíso
É bem urgente saber ser amado e ser amante
Essa é a regra simples eletromagnética delirante

Sei que o amor é criação maravilhosa e divinal
Tudo fica perfeito e bonito quando o amor inflama
E dá aos enamorados a lua sensual e cor de prata
Mas não deixe a dor do ciúme corroer-lhe a alma

Não use e abuse com queixumes e falta de calma
Pois tenho a pura certeza... Quem ama não mata!

Dueto: Lourdes Ramos e Hildebrando Menezes
Assista o poema em vídeo:
Quem Ama não Mata
http://www.youtube.com/watch?v=796X8X74Gyk
http://recantodasletras.uol.com.br/poesiasdeamor/1804955

sábado, 12 de setembro de 2009

ALEGRIA NO ADEUS! ENIGMA DESVENDADO... PROCESSO DO AMOR











ALEGRIA NO ADEUS!

Amor sonhado não é tempo perdido
Se for sentido pode ser achado
É sublimado por ser reinventado
Lavado com lágrimas de saudade...

É irmão gêmeo da felicidade!

Só as almas puras têm esta possibilidade
Elas juntinhas mostram individualidade
E nunca esquecerão o amor e a magia
Ao se soltarem... Darão asas à fantasia

Que se irradia em doçura e proximidade

O amor é assim... Cheio de novidades
No lençol de seda, ou na macia grama
Sobre o chão duro ou na lama da realidade
Na cidade, no campo, na rua ou na fazenda

Quem ama... Amando faz sua oferenda

O que vale está no íntimo e na imaginação
E voar só faz sentido se for pela emoção
Na cumplicidade do espírito e da mente
Dois seres poderão ser um ser somente

E um sem o outro, será sempre carente

E o que seria do movimento sem o vento?
Por isso saboreie bem cada momento
Pise firme ou flutue com asas de passarinho
Sem perder o chão encontre seu caminho

Com o olhar fixo na linha do horizonte

No horizonte há um arco-íris lá adiante
E na poeira da estrada e na própria jornada
Sinta as flores e os rouxinóis a cada estação
Pois viver ainda é uma aventura fascinante

Se for perspicaz verá que o que vai... Vem!

Seja tranqüilo e dadivoso com o seu bem
Sim! Siga sempre em frente sem, porém
Não se esqueça que tanto o sol como o sal
Têm a sua serventia para o bem e para o mal

Seja sempre original, não copie ninguém

Com a certeza de ter sido alguém especial
Nunca se lamentando pelo leite derramado
O melhor... Às vezes é dizer somente adeus...
Jamais um simples tchau fingido de despedida

Que dói fundo e deixa marcas para toda a vida

Dueto: Hildebrando Menezes e Lourdes Ramos
Veja o poema em vídeo:
http://www.youtube.com/watch?v=FdLaZQyz0bQ
http://recantodasletras.uol.com.br/poesias/1804444

ENIGMA DESVENDADO

Eu sei que tu estás em algum lugar
Minha alma inquieta quer te captar
E hás de saber que existo também
Quando o vento for aí te acariciar

Fico fora de mim e tento imaginar
A delícia, sem malícia, de tanto amar
E sei que sentes este meu querer bem
E eu posso sonhar que você já vem?

E em minha mente então, idealizei
És desenhada para ser minha amada
Eu sei que fazes jus a esta perspectiva
Porque de todas és a poetisa mais ativa

Pois vais além daquilo que eu esperei
Em versos sejam côncavos ou convexos
Edificando aquela imagem compulsiva
De uma menina criativa e impulsiva

Eu tenho a certeza de que és real
Quando leio o teu poema genial
És verdade, carinho, paz e afeição
Fico feito apaixonado em devoção

Eu creio que será algo paranormal
Nosso sublime encontro fenomenal
Em tua grandeza hás de me ensinar
Com ternura, carinho, doçura e realce

Ao fechar meus olhos e ver a tua face
Sinfonia melódica do beijo e do abraço
Ao te reconhecer, te gostar e te amar...
Este belo enigma, meu verso irá revelar

Dueto: Lourdes Ramos e Hildebrando Menezes
Veja o poema em vídeo:
http://www.youtube.com/watch?v=tvtmLjKoCG0
http://recantodasletras.uol.com.br/poesiasdeamor/1777150

PROCESSO DO AMOR

No silêncio inquieto da noite
Ouço o vento uivante e solto
Parece no meu corpo um açoite

E ponho-me a meditar carente

O que está acontecendo com a gente?
A aproximação pelos versos eternos
Sua alquimia que invadiu e adentrou

Seduziu e formou o processo poético

Que marca a ferro e fogo o nosso ego
Onde as almas uníssonas se completam
Cobertas pelo manto indelével da ternura

Inspiradas namoram com intensa doçura

Foi um mantra sussurrado com brandura
Tramado em noites de refinada loucura
Tendo ali no mar uma estrada prateada

Iluminada pelo rastro deixado pela lua

E meus olhos fixos em tua imagem nua
Amalgama da carne, corpo, espírito singelo
E nada mais nos separa pelo uso nas sutilezas

Fluídas emoções que declamam um poema belo

Agora imortalizadas como sinfonias acabadas
Compostas como se os dois transcendessem
Dando delicado sentido a um projeto grandioso

Que pelo uso da sensibilidade e do sentimento

Descobrindo e provando o momento venturoso
Tempo e espaço como milagre desaparecessem
Abrindo a perspectiva de unir sonho e realidade

Assim saboreiam a eternidade profunda da vida.

Dueto: Hildebrando Menezes e Lourdes Ramos
Nota: Dedicado à LuLinda como parte de seu vídeo maravilhoso “Um Amor para Sempre”
http://www.youtube.com/watch?v=ey_sZFHClDU
Veja o poema em vídeo:
Meu centésimo vídeo-poema editado por LULINDA
http://www.youtube.com/watch?v=-99DihgSPRQ
http://recantodasletras.uol.com.br/poesiasdeamor/1799763

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Remorsos...










Remorsos...

Onde estou eu que já não me encontro,
Perdi-me neste mundo sem chão,
Nesta vida desatinada.

Atirei-me em cada uma das palavras,
Escritas e lançadas ao vento
Com o agravo de mil lamentos.

Meus sonhos foram submersos,
Dominados por minha própria sorte.
Abusei dos outros,

Penetrei em suas intimidades
Com a inveja e a maldade
Só plantei a falsidade.

E fiquei agora sozinha.
Quis ter tudo e acabei sem nada.

Engoli e não digeri o alimento
Da doçura e da bondade,
Fruto da minha insanidade.

Quis construir o meu universo,
E apenas me restam as pedras,
Que atirei aos outros, sem pensar.

Com uma leitura equivocada
Encobri a minha inveja desmesurada
Usando as máscaras e as punhaladas.

Dominou-me então, uma solidão imensa,
Quando vi tudo o que perdi,
Não por amor, ou por desejo.

Agora que estou lúcido e acordado
Percebo o mal causado pela estrada
Meu bom Deus perdoe a dor causada.

Apenas por ambição do que não podia ter.
Maldisse os outros, inventei palavras vãs,
Pensei que era mais por isso,

E agora vejo entre o desfilar dos meus pecados
As fofocas, os desvios, os labirintos...
Que cultuei, transgredi e sofro com o que sinto

Mas agora vejo, perdida em mim,
Que perdi mais que ganhei.
E sozinha, não posso mais lutar.

Por isso recorro a Ti
Ao grande amor do Teu coração
Devolvendo a Paz
A esta alma infeliz

Dueto: Catarina Camacho e Hildebrando Menezes
Veja o poema em vídeo:
http://www.youtube.com/watch?v=ABsRzPnRuDw
http://recantodasletras.uol.com.br/poesias/1412453