Seguidores

sábado, 21 de abril de 2007

Aída Nardi Menezes



☆ღ ☆ღ ☆ღ☆ღ ☆ღ☆ღ ☆ღ ☆ღ ☆ღ☆ ☆ღ ☆ღ ☆ღ

Este é o nome de minha mãe. Filha de Francisco e Ana Nardi.
Ela é caçula de uma grande família italiana de Tangará/SC.
Parece que os vovôs gostavam de ópera, de música clássica
pois deram o nome aos filhos de Fausto, Amadeu, Aída...etc

A minha mãe casou menina aos 17 anos. O meu pai era 25 anos mais velho que ela. Eu tenho o mesmo nome dele. Ela criou e educou 5 filhos, sem empregada. É uma mulher valiosa. Até hoje é muito bonita. Fala mansa. Pausada. Boa ouvinte.

De rosto, dois de seus filhos se parecem com ela. Ana Amélia, já falecida e eu. D. Aída é muito charmosa. Encanta a todos. Quando jovem pelas fotos vê-se que era belíssima!

Soube que ela tinha uma penca de pretendentes a namorados, sempre batendo à sua porta. Muito religiosa... sem ser carola chata. Debulha o terço. É filha de Maria. Vai sempre à missa e reza muito para a Mãe de Deus. Sua protetora. Tem por Nossa Senhora uma verdadeira, grande e sincera devoção.

Está agora no hospital pois fez uma complicada operação.
Este texto é minha prece para a sua pronta recuperação.
Foi meu querido sobrinho Tutuca que fez esta sugestão.

Aceite portanto mamãe... estes versinhos como oração!
Quero que saiba que vives aqui sempre no meu coração.
Torço por você. Este sofrimento por que passa é redenção.

Se recupere logo. Coloca suas mãos nas do Mestre Jesus.
Mostre e prove que és valente...aprendeu a lição da Cruz.
Lembre-se que o calvário da dor lhe trará a ressurreição.

Ainda é muito cedo para você partir. Cuida da cicatrização.
Tome todas as sopinhas, os remédios e os meus carinhos.
E desculpa aí por estes meus pobres e singelos versinhos.

Que os mando com afeto e amor como se aí estivesse. Também a Gabi e a Lili estão aqui rezando com emoção. Gostaríamos todos de estar aí ao seu lado para beijá-la.

Ah! Não se esqueça mamãe que quando a dor torturar. Sorri! Lembre-se que há coisas que às vezes atormentam mais que a carne. Nos deixa tristonhos, vazios, sem sonhos, sem luz, ombros doídos.

Suponha que mentir para sua dor não será pecado se o fizer
por amor. No longo percurso desta sua enfermidade primeiro perdoe os seus erros.Seja forte! Aguente o rojão. Se tiver que chorar. Chore! Grite! Ore!

Mas não se esqueça que a nossa felicidade depende da sua saúde agora.Seus filhos, netos, bisnetos, irmãos, amigos... querem que você VIVA!Queremos todos comemorar e cantar parabéns pelos seus 100 anos. Receba então a minha gratidão... com amor filial e pedido de benção.

Trocentos milhões de beijos para a minha MAMÃE!

☆ღ ☆ღ ☆ღ☆ღ ☆ღ☆ღ ☆ღ ☆ღ ☆ღ☆
Hildebrando Menezes
Brasília/DF, 22/04/2007

3 comentários:

Cecilia disse...

Amor de mãe é mesmo incondicional...não tem nada igual e aqui te sinto frágil Hild querido...pois como como bom filho que és está com teu coração atormentado...mas se Deus quiser...Dona Aida essa mulher com nome de ópera vai superar esse momento...
Estou aqui fazendo minhas preces!
Um grande beijo para ambos!
Carmen Cecilia

Jeanne disse...

Anjo...Linda a sua homenagem a tua mainha... Não poderia ser diferente, vindo de quem veio.. uma pessoa sensivel e encantodora como vc... Hj consigo entender de quem herdastes toda essa sensibilidade, essa grandiosidade humana, alem desse coração imensamente lindooooo... Tiveste uma excelente escola, uma mestra exemplar, uma pessoa que te conduziu com muito amor e brilhantismo... e devido a isso, vc não poderia ser diferente do que és...
Parabéns a ti, que soube absorver tudo o que de mais lindo tua mãe soube passar, e a tua mainha, pela capacidade de colocar no mundo um filho tao adoravel e educa-lo de maneira tão correta a ponto dele ter se transformado nesse ser tão maravilhoso...
Bjusssssss nos dois...

APRENDIZ DE POETA disse...

Pessoal,
Passando aqui para agradecer as orações de vcs para minha querida mãe que aos 80 anos superou com bravura uma cirurgia q lhe retirou a bechiga e parte do instestino. Recebe alta amanhã do hospital e estamos todos felizes com mais este milagre. Meu abraço carinhoso e agradecido a todos vcs. Nunca esquecerei
este gesto afetivo e de solidariedade de vcs. Hilde