Seguidores

sábado, 12 de setembro de 2009

ALEGRIA NO ADEUS! ENIGMA DESVENDADO... PROCESSO DO AMOR











ALEGRIA NO ADEUS!

Amor sonhado não é tempo perdido
Se for sentido pode ser achado
É sublimado por ser reinventado
Lavado com lágrimas de saudade...

É irmão gêmeo da felicidade!

Só as almas puras têm esta possibilidade
Elas juntinhas mostram individualidade
E nunca esquecerão o amor e a magia
Ao se soltarem... Darão asas à fantasia

Que se irradia em doçura e proximidade

O amor é assim... Cheio de novidades
No lençol de seda, ou na macia grama
Sobre o chão duro ou na lama da realidade
Na cidade, no campo, na rua ou na fazenda

Quem ama... Amando faz sua oferenda

O que vale está no íntimo e na imaginação
E voar só faz sentido se for pela emoção
Na cumplicidade do espírito e da mente
Dois seres poderão ser um ser somente

E um sem o outro, será sempre carente

E o que seria do movimento sem o vento?
Por isso saboreie bem cada momento
Pise firme ou flutue com asas de passarinho
Sem perder o chão encontre seu caminho

Com o olhar fixo na linha do horizonte

No horizonte há um arco-íris lá adiante
E na poeira da estrada e na própria jornada
Sinta as flores e os rouxinóis a cada estação
Pois viver ainda é uma aventura fascinante

Se for perspicaz verá que o que vai... Vem!

Seja tranqüilo e dadivoso com o seu bem
Sim! Siga sempre em frente sem, porém
Não se esqueça que tanto o sol como o sal
Têm a sua serventia para o bem e para o mal

Seja sempre original, não copie ninguém

Com a certeza de ter sido alguém especial
Nunca se lamentando pelo leite derramado
O melhor... Às vezes é dizer somente adeus...
Jamais um simples tchau fingido de despedida

Que dói fundo e deixa marcas para toda a vida

Dueto: Hildebrando Menezes e Lourdes Ramos
Veja o poema em vídeo:
http://www.youtube.com/watch?v=FdLaZQyz0bQ
http://recantodasletras.uol.com.br/poesias/1804444

ENIGMA DESVENDADO

Eu sei que tu estás em algum lugar
Minha alma inquieta quer te captar
E hás de saber que existo também
Quando o vento for aí te acariciar

Fico fora de mim e tento imaginar
A delícia, sem malícia, de tanto amar
E sei que sentes este meu querer bem
E eu posso sonhar que você já vem?

E em minha mente então, idealizei
És desenhada para ser minha amada
Eu sei que fazes jus a esta perspectiva
Porque de todas és a poetisa mais ativa

Pois vais além daquilo que eu esperei
Em versos sejam côncavos ou convexos
Edificando aquela imagem compulsiva
De uma menina criativa e impulsiva

Eu tenho a certeza de que és real
Quando leio o teu poema genial
És verdade, carinho, paz e afeição
Fico feito apaixonado em devoção

Eu creio que será algo paranormal
Nosso sublime encontro fenomenal
Em tua grandeza hás de me ensinar
Com ternura, carinho, doçura e realce

Ao fechar meus olhos e ver a tua face
Sinfonia melódica do beijo e do abraço
Ao te reconhecer, te gostar e te amar...
Este belo enigma, meu verso irá revelar

Dueto: Lourdes Ramos e Hildebrando Menezes
Veja o poema em vídeo:
http://www.youtube.com/watch?v=tvtmLjKoCG0
http://recantodasletras.uol.com.br/poesiasdeamor/1777150

PROCESSO DO AMOR

No silêncio inquieto da noite
Ouço o vento uivante e solto
Parece no meu corpo um açoite

E ponho-me a meditar carente

O que está acontecendo com a gente?
A aproximação pelos versos eternos
Sua alquimia que invadiu e adentrou

Seduziu e formou o processo poético

Que marca a ferro e fogo o nosso ego
Onde as almas uníssonas se completam
Cobertas pelo manto indelével da ternura

Inspiradas namoram com intensa doçura

Foi um mantra sussurrado com brandura
Tramado em noites de refinada loucura
Tendo ali no mar uma estrada prateada

Iluminada pelo rastro deixado pela lua

E meus olhos fixos em tua imagem nua
Amalgama da carne, corpo, espírito singelo
E nada mais nos separa pelo uso nas sutilezas

Fluídas emoções que declamam um poema belo

Agora imortalizadas como sinfonias acabadas
Compostas como se os dois transcendessem
Dando delicado sentido a um projeto grandioso

Que pelo uso da sensibilidade e do sentimento

Descobrindo e provando o momento venturoso
Tempo e espaço como milagre desaparecessem
Abrindo a perspectiva de unir sonho e realidade

Assim saboreiam a eternidade profunda da vida.

Dueto: Hildebrando Menezes e Lourdes Ramos
Nota: Dedicado à LuLinda como parte de seu vídeo maravilhoso “Um Amor para Sempre”
http://www.youtube.com/watch?v=ey_sZFHClDU
Veja o poema em vídeo:
Meu centésimo vídeo-poema editado por LULINDA
http://www.youtube.com/watch?v=-99DihgSPRQ
http://recantodasletras.uol.com.br/poesiasdeamor/1799763

3 comentários:

Anônimo disse...

simplesmente lindo! muito obrigada por tanta emoção e energia positiva... Concordo com vc, quando diz que é hora de vir... deus é às vezes inconstante e através de seus arautos recomendam que é hora nem de ir, nem de vir... Bjos em seu coração.

sukiehikari disse...

rsrsrs...contrariando os arautos, após enigma desvendado, é chegada a hora de continuar após as reticências... soube de algumas notícias finalmente...cócócócó... medrosa eu, neh... mas estou certa que podemos voar e descobrir novos caminhos... bjos. Agora, com a chave da casa... hehehehe... tinha perdido a chave e tive que fazer outra...

sukiehikari disse...

Ps. Caminhos do coração vai ser um sucesso surpeendente!Eu acredito!