Seguidores

quinta-feira, 29 de novembro de 2007

Sentimentos...Como fosse fácil ...








Sentimentos...

O processo flui e reflui...movimenta.
De fora pra dentro...retorna...é cíclico!
Vem...sai...volta... manso...suave

Por vezes abrupto...nervoso.
E fica por lá...no âmago...intenso...
Mexendo e bulindo...sofrendo.

Criando...compondo... tocando...
Musicando o humor...trazendo sorrisos.
É o combustível do amor.

Sensível também ao calor...
Humana temperatura da ternura
Febre branda de fragrância cativa.

Que a alma ilumina e fascina
Alivia e acalma...as chamas
Na tristeza... ele logo reclama.

Na folia...contamina ...delicia.
Irradia as cores da fantasia...
Abre o riso e o paraíso.

Na falta...vem frio!
Só se sente vazio.
Provoca o arredio.

Com as perdas...só ganha saudade.
Vontade de mudar a realidade.
Sonhos...quimeras...desejos.

Sentimento é como espírito...
Move...inebria...embriaga.
Promove a magia sadia.

Certeza de que o amor existe.
Que ele vai chegar...você resiste.
Apagam-se as dores...as mágoas.

Colhe-se o fruto da alegria
Tempera...dá sabor...contagia.
E ao encontrar uma parceria...

A felicidade se instala.
Roça à pele...às células.
Oxigena o cérebro.

Trafega na veia e incendeia.
Veloz o sangue bombeia...
No coração menino traquina.

Desperta paixões de montão.
O que seria de mim...de você...
Dos poetas e dos loucos ?

Não fosse esse sentimento...
Tão forte, carente e presente
Nos invadindo pouco à pouco?

Hildebrando Menezes
Este é o poema analíptico.
Veja o sintético em vídeo...
http://www.youtube.com/watch?v=2HTAnZlg5y0

Como fosse fácil ...


As estrelas

Recolheram suas asas

Como fosse fácil

Esconder minhas mágoas

Em plena escuridão...


A lua opacou minhas alegrias

Como fosse fácil

Não reter

Cada minuto dessa solidão ...


Debateu-se com a alvorada

Numa luta desigual

Como fosse fácil para a noite

Manter o fio contínuo do seu punhal...


Vagou pelo mundo afora

Como fosse fácil

Levar com sentido

Os ecos do meu amor

Para que teu coração ouvisse...


No limite da ilusão

Suas fases enciumadas

Estremecem

No tempo em que

Minhas meias preces

Adormecem em suas mãos...


Não há como dividir

Pela metade

Quando um amor é vivido

De verdade

Numa noite repartida

De prazer...


Não há como ser fácil

Descrever

O clarão dessa explosão

Que dentro de mim

Vive extrema!


Como fosse fácil

Sem dilemas...

Em qualquer céu

Mesmo triste

A lua espalhar suas raízes

Que por alguma razão recolho

Uma por uma... em meus poemas...

enise
Veja o poema em vídeo
http://www.youtube.com/watch?v=TZllT5RocTI

Um comentário:

Vera disse...

Deus na sua infinita misericordia escolheu pessoas especiais e lhes atribuiu um pequeno dom, o dom da palavra, o dom de transformar sentimentos em escritos, Deus criou os poetas pra diminuir um pouquinho as dores do mundo, porque poetas são criadores de sonhos, massageam o coração de todos com lindos versos, cada um de nós sempre encontrará um pedaçinho da nossa alma escrito nos teus versos.

Fica com Deus pessoa iluminada..segue o teu caminho deramando sentimentos por todos os caminhos..