Seguidores

sexta-feira, 4 de maio de 2007

Loucura de Luar


Loucura de Luar
◦≈♥≈◦…◦ﻶﻉణ◦ﻉﻶ…◦≈♥≈◦…
Olho aqui para o céu escuro
embalando-me numa rede branca...
Da sacada do apê silencioso.
Vejo um universo de estrelas
pontilhado de salpicados pontos...
Brilhantes na estrada infinita
de um horizonte...onde meus
olhos reflexivos passeiam procurando.
Lá está uma enorme lua cheia...
com sua luz estonteante.
Que beleza magnífica!
Mensagem lúdica enlouquecida.
Fico mudo me perguntando:
Que seria dos amantes, namorados...
sonhadores, aprendizes de poeta?
Não fôra esta visão de uma lua
tão bela, provocadora e apaixonante.
E a loucura fica santa e me quedo
num instante. Distraído caio da rede.
Diante da magia encantadora
De um luar assim pulsante.
Que dão aos meus olhos a visão inebriada
Da existência do paraíso. Onde o mundo
só pode ter sido concebido num momento
assim...tão intenso e deslumbrante.
Óh! Meu Deus... foste e és um sábio e
louco por criares um luar tão fabuloso.
Vejo e antevejo o cenário da sua criação...
Onde estão perfilados seus santos e anjos.
Numa espécie de orquestra sinfônica
Com um maestro divinal regendo.
O seu coral entoando canções belas
e radiantes nesse palco celeste:
Raro, mavioso, enternecido espetáculo!
Que lua! Que luar! Que “lunático”...
Este meu vislumbrado olhar apaixonado.
Muito obrigado! Pelo privilégio de poder
descrever esta visão amorosa e iluminada
que me faz ver assim em estado de encantamento.
O brilho que vejo na lua agora eu intuo...
Que é o mesmo que sai daí de dentro
de seu coração criador...despertando-me
do sono ateu para vir aqui dizer em plena
madrugada o que aparece nesta "sacada".
Este luar é etílico. Eu me sinto embriagado.
Bêbado deste luar maravilhoso.
Milhares de outras luzes despontam juntas.
Pequenas luzes...dos postes, dos carros,
das janelas, das estrelas, mas elas não
reproduzem nada, absolutamente nada,
comparado ao poder, à visão enternecida
deste luar majestoso e belo. Brilha lua...
o seu luar no meu lual olhar poético.
Que meus olhos nunca ceguem...
para rever o que agora descrevo.
Eternizando num instante mágico
O que me apareceu assim de solavanco...
É uma lua que flutua noite à dentro
No meu mais intenso momento de encanto.
Tendo só como testemunha a rede, a “sacada”,
o céu, as estrelas e a ré/culpada de tudo isto:
a lua e o luar aqui presente.
◦≈♥≈◦…◦ﻶﻉణ◦ﻉﻶ…◦≈♥≈◦…
Hildebrando Menezes
Brasília/DF, 04/05/2007

5 comentários:

Waleska Zibetti disse...

Amo lê-lo, Hild! Obrigada por ter aceito meu convite para a minha comunidade no Orkut. Fico muito feliz em tê-lo por lá. Estou camuflada lá no Okut. Usando fake. Mas tenho acompanhado suas postagens. Parabéns pelo seu estilo e pelo seu bom gosto. Beijos da amiga, Wal.ewcecckl

poemas disse...

Lindo poema envolvente,mágico e sedutor....poético.AMEI!!!

"Que meus olhos nunca ceguem...
para rever o que agora descrevo.
Eternizando num instante mágico
O que me apareceu assim de solavanco...
É uma lua que flutua noite à dentro
No meu mais intenso momento de encanto.
Tendo só como testemunha a rede, a “sacada”,
o céu, as estrelas e a ré/culpada de tudo isto:
a lua e o luar aqui presente".

Lindo ,único e belo momento poético.
PARABÉNS!!!

Cecilia disse...

Você sempre me surpreende!
Belíssimo e envolvente poema Hild!

Deslumbrante! Me senti transportada para essa maravilhosa noite de luar que você descreve com tanta maestria e profundidade.

Divina a forma que tu discorres sobre o tema nos enlevando e presenteando com essa sua fascinante "CRIAÇÃO"

Sensacional!

Superbeijos pra ti e pra esse momento apoteótico de inspiração!

Carmen Cecilia

escorpyana disse...

Lindo poema,e não tem luar como o nosso aqui de Brasília.Como disse Djavan"céu de Brasília,traço do arquiteto".Tenha um domingo maravilhoso.
beijussssssssssssssss

Gustavo disse...

Que loucuuuura. Ficou realmente muito bom Juca...
Semana passada a lua estava muito inspiradora.
Sucessos.